• 13 de agosto de 2022 22:03

Não, por incrível que pareça, esse título não é um “click bait”. Uma professora de Sociologia foi gravada enquanto usava a audiência cativa da sala de aula para incutir suas concepções deturpadas nas mentes de seus alunos.

O caso ocorreu em uma escola estadual de São José/SC.Para supostamente ensinar o conceito de “etnocentrismo”, a professora exaltou uma pessoa que “posta nudes” na internet e diz ter “orgulho de ser pu**”, indicando-a como exemplo de fibra moral a ser seguido pelos jovens estudantes.

Segundo ela, o adolescente não deve “ter vergonha de enfrentar pai e mãe” se “quiser o que quiser”, como por exemplo, “namorar”, “fazer nudes”, “transar”, “não estudar por** nenhuma” ou arranjar “um parceiro do mesmo sexo”.

Levamos o caso ao Secretário de Educação para exigir a abertura de um processo administrativo referente ao episódio, reforçando que estamos há 3 anos apresentando denúncias semelhantes e até hoje muito pouco foi feito por parte do governo estadual para punir exemplarmente os funcionários públicos responsáveis por essas barbaridades cometidas em escolas catarinenses.

Na tribuna da Alesc, mais uma vez, lembramos da necessidade de urgência na aprovação de nossos projetos que tratam sobre a defesa da integridade física e moral de crianças e adolescentes, pois essas matérias estão sendo sistematicamente retidas nas comissões por parlamentares da esquerda.

As famílias catarinenses querem um BASTA nesses absurdos!

https://www.facebook.com/100002692968008/videos/1027009151247904

#deputadanacampagnolo #professora #família #direitodeserputa #pmbnoticias #etnocentrismo #doutrinação

SANTANA

SANTANA - Jornalista/ Bacharel em Ciência Política / Sociólogo/ Gestor em Segurança Pública e Policiamento / Pós graduado em Sociologia e Política de Segurança Pública

Deixe um comentário