• 7 de fevereiro de 2023 03:08

PMB Notícias

Notícias do Brasil e do mundo

Demissões em massa

Grandes empresas anunciam demissão em massa no começo de 2023 e mercado fica preocupado  ao que pode acontecer com a economia brasileira

Escrito por Bruno Teles em Economia

Demissões em massa estão sendo vistas nestes primeiros dias de 2023 e exigem soluções rápidas para conter a perda de empregos no Brasil.

Diversos episódios de demissões em massa começaram já em dezembro de 2022, o que traumatizou os brasileiros. Entretanto, janeiro de 2023 já anuncia um ano em que algumas empresas se preparam para coisas que podem piorar. O mercado de trabalho viu mais demissões apenas no início do mês. Nos primeiros 15 dias, mais de 100.000 trabalhadores em todo o país perderam seus empregos.

Demissão em massa atinge maior parte das áreas de tecnologia. A onda de demissão em massa em empresas de tecnologia se espalhou pelas gigantes do setor – como Amazon e Facebook – para pequenas e médias empresas, como o aplicativo de transporte 99, e tem potencial para se espalhar para muito mais startups, uma indústria responsável por milhões de empregos em todo o país.

A “99”, empresa chinesa de transporte por app, iniciou demissões no Brasil, mas não especificou quantas pessoas serão demitidas. No entanto, as vítimas são conhecidas por atingir todas as áreas da empresa.

CVC Corp, uma das maiores empresas de viagens do Brasil, também anunciou demissões de cerca de 5% de sua força de trabalho. Em uma declaração pública, a empresa alegou que as demissões faziam parte de uma “reestruturação única” da organização. 800 funcionários foram para rua no frigorífico Big Boi no Paraná.

40 bilhões de reais em dívida e o resultado: demissão em massa

Trabalhadores da Lojas Americanas estão em processo de demissão em massa após declararem na Justiça a existência de dívidas de mais de 40 bilhões de reais. A descoberta da brecha bilionária pela empresa preocupou o mercado, provocando uma série de demissões além de provocar uma queda brusca na bolsa de valores, com a queda das ações de outras empresas parceiras do grupo, como a Ambev, controlada pelos donos da Americanas, e bancos como Bradesco e BTG que também estão em crise. Em nota, a Americanas garantiu que está empenhada em “trabalhar com os credores para encontrar soluções de curto prazo”. No entanto, apesar das baixas esperadas, a empresa ainda não informou se cortará empregos e fechar lojas no país.

Riachuelo entra na lista das empresas que realizou demissão em massa já em 2023

O Grupo Guararapes, dono das Lojas Riachuelo, anunciou o fechamento de sua divisão em Fortaleza, no Ceará. Além de fechar a fábrica, a empresa demitiu milhares de trabalhadores – cerca de 10% da força de trabalho dos Guararapes – e vai concentrar a produção em Natal, no Rio Grande do Norte, a partir de agora. Da mesma forma, a Eletrobras e suas controladas estimam que mais de 2.500 eletricistas serão demitidos até meados de 2023. Só na Eletronorte, cerca de 600 trabalhadores foram obrigados a se submeter a um PDV (Programa de Desligamento Voluntário) amplamente divulgado pelos sindicatos da categoria. Economistas e políticos escrutinaram o grande número de demissões registadas no final de dezembro, principalmente na primeira quinzena de janeiro.

SANTANA

SANTANA - Jornalista/ Bacharel em Ciência Política / Sociólogo/ Gestor em Segurança Pública e Policiamento / Pós graduado em Sociologia e Política de Segurança Pública

Deixe um comentário