TARCISO MORAIS

TARCISO MORAISFundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

Senador republicano aponta o comportamento hipócrita de jornal da velha imprensa norte-americana acerca da visita de Bolsonaro aos EUA.

Enquanto a visita do ex-presidente Barack Obama à ditadura comunista de Cuba foi rotulada como “histórica”, a velha imprensa dos Estados Unidos não ficou animada com a visita do presidente democraticamente eleito do Brasil.

Em matéria publicada nesta terça-feira (19), o jornal norte-americano The Washington Post classificou o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, como um “líder nacionalista da extrema direita”, uma pessoa “sem remorsos”.

O senador republicano Marco Rubio ficou indignado com a matéria do jornal do bilionário Jeff Bezos. O periódico é considerado como um bastião da verdade. Na era das fake news, segundo os jornalistas brasileiros, o Post nunca está errado.

“Revelador. Muitos na mídia celebraram o encontro de Obama com o ditador comunista assassino em Cuba. Mas eles usam termos negativos ao cobrir a reunião de Donald Trump com o presidente democraticamente eleito do Brasil”, afirma Rubio em mensagem no Twitter.

Ele está certo em apontar a hipocrisia da velha imprensa norte-americana. Vamos continuar utilizando o Washington Post como exemplo.

Abaixo citamos as primeiras matérias encontradas quando fazemos uma pesquisa no Google com os termos: Obama, Cuba, 2016, e Washington Post.

Confira a diferença no tom da cobertura do jornal sobre a visita do ex-presidente Barack Obama ao regime comunista de Cuba.

Em nenhuma das quatro matérias citadas acima é possível encontrar o termo “extrema esquerda”, que foi incluído no título do texto publicado sobre Bolsonaro.

Aparentemente, segundo o jornal Washington Post, um presidente eleito de forma democrática por mais de 50 milhões de brasileiros é um extremista, mas o líder de uma ditadura comunista no poder há décadas não precisa receber tal rótulo.

By SANTANA

SANTANA - Jornalista / Bacharel em Ciência Política / Gestor em Segurança Pública e Policiamento / Pós graduado em Sociologia da Segurança Pública

Deixe um comentário