• 16 de agosto de 2022 07:22

QUEM MORREU?

BySANTANA

fev 5, 2022

Vamos analisar o fato sob três dimensões: Para as forças de segurança: Uma integrante da corporação, profissional, mãe, idealista e alguém que combateu o crime e lutou com tudo o que tinha, reagindo a uma injusta agressão.

Uma irmã de farda, uma combatente que jurou proteger a sociedade com o sacrifício da própria vida. Para a sociedade:Alguém que nem conheciam, só souberam pela televisão, alguém “distante” que possivelmente seja igual a tantos outros que já foram mortos.

Não haverá nenhuma movimentação em seu favor, não haverá pneus queimados, gritos pelo “fim da criminalidade”, não haverá comissão de Direitos Humanos pedindo rigorosa investigação das autoridades, não haverá visita ao filho que ela deixou, não haverá faixas e passeatas em frente à Secretaria de Segurança Pública com camisetas estampadas com a foto dela.

Não haverá partidos políticos com bandeiras defendendo a causa dessa policial. A sociedade não intercede por seus heróis, antes, endeusam bandidos e os protege com seu silêncio. O que vimos em Nova York, jamais veremos aqui nem por parte da sociedade, imprensa e das entidades de classe.Para o judiciário ?Ninguém que seja do seu interesse.

Prof. João Alexandre | UNICESDH

SANTANA

SANTANA - Jornalista/ Bacharel em Ciência Política / Sociólogo/ Gestor em Segurança Pública e Policiamento / Pós graduado em Sociologia e Política de Segurança Pública

Deixe um comentário