Big Tech de Mark Zuckerberg ignorou pesquisas internas mostrando que uso da plataforma traz danos à saúde física e mental de crianças e adolescentes 

POR LEONARDO TRIELLI

Um grupo de procuradores-estaduais dos EUA está investigando o Instagram, rede social da Meta Platforms (novo nome do Facebook, de Mark Zuckerberg), e os danos que o uso da plataforma de compartilhamento de fotos pode causar em crianças e adolescentes.

Os procuradores querem saber por que a Big Tech ignorou pesquisas internas sobre os perigos físicos e mentais que o uso do Instagram pode representar para os jovens. Segundo o The Wall Street Journal, a empresa sabia sobre danos que o uso do Instagram pode causar em adolescentes – especialmente meninas – em se tratando de problemas de saúde mental e auto-imagem.

A investigação também se baseia nas denúncias de Frances Haugen, que testemunhou perante o congresso americano e o parlamento britânico. Engenheira de dados e ex-funcionária da Meta, Haugen disse que a empresa costuma colocar interesses econômicos à frente da segurança dos usuários e da saúde de democracias.

Entre outras coisas, os procuradores investigam as técnicas que Meta utiliza para manter os jovens em suas plataformas – e os danos que o tempo prolongado no Instagram pode causar.

A investigação é liderada por uma coalizão bipartidária de procuradores-gerais da Califórnia, Flórida, Kentucky, Massachusetts, Nebraska, Nova Jersey, Tennessee e Vermont. 

Crédito da imagem: Gerd Altmann from Pixabay

Procuradores dos EUA investigam perigos do uso do Instagram por crianças

By SANTANA

SANTANA - Jornalista / Bacharel em Ciência Política / Gestor em Segurança Pública e Policiamento / Pós graduado em Sociologia da Segurança Pública

Deixe um comentário