Conforme Jean Wyllys anunciou a aposentadoria política, desistindo de assumir o mandato de deputado federal para o qual foi eleito em 2018, usuários da internet foram rapidamente averiguar quem é o suplente que assumira sua vaga.

David Miranda, suplente de Wyllys, assumirá a cadeira na Câmara em fevereiro, mas seu nome está longe de ser desconhecido do grande público. No ano de 2013, David foi detido em um aeroporto em Londres, e acusado pela Scotland Yard de ter envolvimento com terrorismo e espionagem.

Durante a passagem de David pelo aeroporto onde foi detido, foi elaborado um documento explicitando as ações de David.

Diz o documento: “A inteligência indica que Miranda provavelmente está envolvido em atividades de espionagem, com potencial para agir contra os interesses da segurança nacional do Reino Unido”.

“Nós avaliamos que Miranda transportava conscientemente material cuja divulgação colocaria em risco a vida das pessoas”

“Além disso, a divulgação, ou a ameaça de divulgação, pretende influenciar um governo e é feito com a finalidade de promover uma causa política ou ideológica. Isso, portanto, corresponde à definição de terrorismo”.

Conforme noticiado pelo República de Curitiba, o DNA do PSOL é permeado de relações com terroristas. Achille Lollo, um terrorista italiano que fugiu para o Brasil e fundou o partido, o próprio Cesare Battisti que foi abraçado pela legenda e é claro, o ex-militante Adélio Bispo.

Miranda é casado com o jornalista Glenn Greenwald, dono do site esquerdista The Intercept, site este que durante a campanha de 2018 atacou abertamente e diariamente o então candidato Jair Bolsonaro.

O perfil Isentões, bastante conhecido no Twitter por desmascarar personalidades e usuários de esquerda sempre pegos em atitudes e ações hipócritas, levantou diversas informações sobre o passado e o presente do casal.

By SANTANA

SANTANA - Jornalista / Bacharel em Ciência Política / Gestor em Segurança Pública e Policiamento / Pós graduado em Sociologia da Segurança Pública

Deixe um comentário