Querem cooptar jornais, redes de televisão e jornalistas para cantarem loas ao regime comunista chinês

Marco Feliciano

Um grande cronista certa vez disse: “Quando a política está em paz, vejo uma pessoa na rua dando de comer aos pássaros e já tenho assunto para uma crônica”. Como eu gostaria que fosse assim hoje! Entre tantos fatos estranhos ocorrendo, vou me ater ao cerco que a China vem perpetrando aos órgãos de imprensa brasileiros ao cooptar jornais, redes de televisão e jornalistas para cantarem loas ao regime comunista chinês. Contudo, por lá, o mesmo governo não permite uma imprensa livre, segrega minorias, proíbe o culto ao Deus do cristianismo e exige a troca da cruz, nos templos cristãos, pela foto de seu líder.

Entre tantos veículos de imprensa que estão se vendendo ao ouro de Pequim, cito a Folha de São Paulo, que estreou newsletters e blogs exclusivos sobre a China; o Diário de Pernambuco, que anunciou: “Pernambuco mais próximo da China”. Aliás, o Diário de Pernambuco e a Xinhua firmaram parceria para trazer o conteúdo da rede asiática para o Brasil. Além desses, a Rede Bandeirantes de comunicação também tem reservado um grande espaço a China em sua grade, e a Rede Globo firmou parceria com a China Média Group, fechando-se o cerco entre as grandes empresas brasileiras de comunicação.

O embaixador chinês no Brasil, Sr. Yang Wanming, que se porta como um interventor no país no qual deveria exercer diplomacia, rebateu declarações do ministro Paulo Guedes em reunião privada da qual vazou um áudio, lembrando-o, em tom de ameaça, que seu país é o maior fornecedor de vacinas para o Brasil. Ele se esqueceu apenas de citar que nenhuma vacina vem de graça. Por esse motivo, o governo brasileiro já pediu a troca do embaixador chinês duas vezes.

Nós, parlamentares, temos obrigação de denunciar fatos estranhos envolvendo países neoimperialistas que nos envolvam com seus tentáculos forrados de ouro, ainda que maus brasileiros estejam vendendo sua alma e seu país, lixando-se para o que deixarão para os nossos netos, e ainda que não demonstrem solidariedade alguma para com os nossos irmãos cristãos chineses, mandados para campos de reeducação, separados dos familiares, numa moderna arena de leões.

Finalizo pedindo a Deus que olhe por maus brasileiros que simpatizam com qualquer partido opressor só pelo fato de serem de esquerda e que ele derrame as mais escolhidas bênçãos celestiais sobre todos patriotas!

Marco Feliciano é pastor, foi reeleito Deputado Federal por São Paulo com quase 400 mil votos e preside a Assembleia de Deus Ministério Catedral do Avivamento.

* Este texto reflete a opinião do autor e não, necessariamente, a do Pleno.News.

By SANTANA

SANTANA - Jornalista / Bacharel em Ciência Política / Gestor em Segurança Pública e Policiamento / Pós graduado em Sociologia da Segurança Pública

Deixe um comentário