O cargo garantiria a Marun, articulador político de Temer, salário de R$ 27 mil para participar de reuniões bimestrais.

O presidente Jair Bolsonaro deve rever o ato de seu antecessor, Michel Temer, que nomeou o ex-ministro Carlos Marun para o conselho da Itaipu Binacional, com mandato até 2020.

A decisão de Temer para ajudar seu fiel ex-ministro foi tomada no último dia do seu governo.

Na manhã desta terça-feira (1º), antes de tomar posse, Bolsonaro disse a interlocutores que não gostou da atitude de Temer, tomada no apagar das luzes e que contraria sua decisão de nomear técnicos também no segundo escalão, informa o “Estadão“.

Marun foi avisado de que sua nomeação deve ser anulada.

Caso isso aconteça, ele volta à Câmara dos Deputados para cumprir seu mandato até o próximo dia 31, quando acaba a legislatura.

By SANTANA

SANTANA - Jornalista / Bacharel em Ciência Política / Gestor em Segurança Pública e Policiamento / Pós graduado em Sociologia da Segurança Pública

Deixe um comentário