O Presidente da República Jair Bolsonaro abriu o verbo em entrevista ao canal de televisão italiano “Sky TG24” relembrando à imprensa internacional que Lula foi financiado pelo tráfico de drogas. Bolsonaro recordou a confissão do ex-chefe do Serviço Secreto da Venezuela, general Hugo Carvajal, de que intermediou o financiamento do narcotráfico e da narcoditadura venezuelana a partidos de esquerda na América Latina e a Luiz Inácio Lula da Silva em particular.

Lula me acusa de genocídio por ser um oportunista. O último caso que veio à tona: o chefe do serviço de inteligência venezuelano, preso recentemente, disse que recebia recursos e que todas as autoridades de esquerda recebiam recursos do narcotráfico, dinheiro também enviado para a Espanha. Lula foi condenado, depois eu não sei como ele não ficou na prisão, mas todo o escândalo de corrupção em que ele se envolveu deixou uma marca muito forte no Brasil. Lula quase levou à falência nossa maior empresa de petróleo, a Petrobras. É uma longa história, sua liderança política começou quando ele teve contato com as FARC colombianas e a partir desse momento começou essa relação com o narcotráfico”, explanou Bolsonaro.

A imprensa brasileira e internacional sempre abafou as acusações de vínculo entre Lula, o PT e pessoas ou entidades ligadas ao narcotráfico. Um dos raros episódios em que a imprensa brasileira falou de algo neste sentido foi em 2010, quando o jornal O Estado de S. Paulo falou da relação entre petismo, Lula e FARCs, grupo guerrilheiro cujos vínculos com o narcotráfico são notórios. Leia abaixo a nota do Estadão em 2010:

Carta de líder das Farc abriu Foro de São Paulo em 1990

O PT nunca fica à vontade quando se fala de seu envolvimento com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Os laços entre o partido e o grupo guerrilheiro ficaram claros em 1990, quando foi criado o Foro de São Paulo por iniciativa de Luiz Inácio Lula da Silva, depois de encontro com o então presidente cubano, Fidel Castro, que falou da necessidade de se promover encontros de partidos e organizações de esquerda na América Latina. Uma carta do então líder das Farc, Pedro Antonio Marín, conhecido como Manuel Marulanda ou Tirofijo, foi lida na abertura do evento”.

Fonte: novaiguacu24h.com.br

By SANTANA

SANTANA - Jornalista / Bacharel em Ciência Política / Gestor em Segurança Pública e Policiamento / Pós graduado em Sociologia da Segurança Pública

Deixe um comentário