“Estamos por um fio”

Thamirys Andrade

O deputado federal e pastor Marco Feliciano usou as redes sociais nesta sexta-feira (13) para protestar contra a prisão do presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson. O parlamentar sugeriu que a detenção é uma “tentativa de intimidar qualquer um que apoie o presidente Jair Bolsonaro”.

– Perguntar não ofende. Seria uma tentativa de intimidar qualquer um que apoie o presidente Jair Bolsonaro? Afastar Roberto Jefferson de presidência do PTB por se mostrar como um partido conservador? Será que pensam que Bolsonaro iria pro PTB? – questionou em sua conta oficial no Twitter.

Em vídeo sobre o assunto, o parlamentar classificou a prisão do ex-deputado como “preocupante” e confessou estar “assustado”.

– O motivo da prisão são apenas exposições de opiniões, algumas vezes até contundentes, mas é pelo calor dos fatos, pessoal. Essas opiniões podem até divergir de alguns grupos políticos, mas não oferecem ameaça alguma à ordem instituída.

Para o deputado, um líder político como Roberto Jefferson tem o “dever cívico de omitir sua oposição política sobre os fatos que envolvem a nossa nação”.

– A política é isso, pessoal, é a arte do contraditório (…) Quando a reação é inversamente proporcional a ação é sinal do uso indevido de forças. Onde o legal e o moral se confundem, causando instabilidade em toda a sociedade – argumentou.

O pastor criticou ainda a postura dos ministros da Suprema Corte brasileira e fez uma comparação com tribunais estrangeiros.

– Ministros da Suprema Corte em todo o mundo civilizado são pessoas discretas, só falam nos autos, não perseguem protagonismo midiático pois a liturgia do cargo assim os obriga – assinalou.

O deputado finalizou questionando quem serão os próximos conservadores a serem presos.

– Hoje é Roberto Jefferson. Amanhã quem será? O pastor Silas Malafaia? Eu? O presidente Bolsonaro? Repito o que venho dizendo todos os dias aqui: estamos vivendo dias sombrios no Brasil.

By SANTANA

SANTANA - Jornalista / Bacharel em Ciência Política / Gestor em Segurança Pública e Policiamento / Pós graduado em Sociologia da Segurança Pública

Deixe um comentário