9 de agosto de 2021

PMB Notícias

Santana Jornalista

Doria irá causar até 50 mil demissões no setor automotivo

Aumento do ICMS em SP pode causar 50 mil demissões no setor automotivo, dizem entidades

Imposto sobre o carro novo subirá de 12% para 13,3% no dia 15 de janeiro, e em 1° de abril terá novo aumento; Usados subirão de 1,8% para 5,53%

Por André Schaun

Nesta quarta-feira (13) diversas autoridades do setor automotivo apresentaram estudos sobre os prejuízos que o aumento da alíquota do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) vai causar no Estado de São Paulo. Além do aumento de preço dos carros, o fechamento de diversas lojas, de novos e usados, e demissões em massa serão inevitáveis, afirmam as entidades.

Em todo o estado são 12,5 mil lojas multimarcas, que empregam 300 mil pessoas, de forma direta e indireta, além das 1.701 concessionárias autorizadas, responsáveis por 71.442 empregos diretos, segundo a Fenabrave (Federação Nacional Distribuição Veículos Automotores).

São Paulo é responsável por cerca de 40% das vendas de veículos usados do Brasil. Somente no ano passado foram comercializados 3,8 milhões de unidades em todo o estado. Já no que diz respeito à venda veículos zero quilômetro, o estado representa 32% dos emplacamentos, com 722.262 veículos vendidos em 2020.

ICMS para carros usados e seminovos pode aumentar 207% (Foto: Hairton Ponciano Voz) — Foto: Auto Esporte

ICMS para carros usados e seminovos pode aumentar 207% (Foto: Hairton Ponciano Voz) — Foto: Auto Esporte

“Esperávamos, no mínimo, respeito e consideração do governo com os lojistas para que tivéssemos um diálogo técnico, lógico e racional sobre essas negociações de aumento do imposto. Se esse decreto entrar em vigor, ele trará mais informalidade ao setor, migração para outros estados, menos arrecadação para o estado de São Paulo e o fechamento de muitas lojas, e consequentemente, aumento massivo de desemprego”, afirmou Alarico Assumpção Júnior, presidente da Fenabrave.

A entidade previu um crescimento de 15,8% na venda de carros e comerciais leves zero quilômetro para este ano em relação a 2020. Porém, com o aumento do ICMS, Alarico afirmou que esse número deve abaixar, mas sem prever o quanto.

Inicialmente, o conjunto de medidas do pacote de ajuste fiscal do Estado de São Paulo havia determinado ao final de outubro que a cobrança do imposto de carros zero km passaria de 12% para 13,3% a partir do dia 15 de janeiro.

https://autoesporte.globo.com/mercado/noticia/2021/01/aumento-do-icms-em-sp-pode-causar-50-mil-demissoes-no-setor-automotivo-dizem-entidades.ghtml?fbclid=IwAR0JO8sFVSe2ef0qwG885A2rEEcZmZzUK1igaQtOLr6BIRu9VKMlC3JI5Jw