Por Redação Forças de Defesa

Caças F-15 e F-16 dos EUA atacaram bases de milícias apoiadas pelo Irã na Síria no domingo (27/6), tentando neutralizar posições que o governo Biden disse terem lançado ataques de UAV contra funcionários e instalações dos EUA no Iraque. O Departamento de Defesa (DOD) divulgou um vídeo dos ataques aéreos ao longo da fronteira Iraque/Síria.

A mais recente onda de ataques contra ativos militares dos EUA no Iraque foi realizada por uma nova classe de drones de fabricação iraniana que, segundo autoridades norte-americanas, podem escapar da vigilância dos EUA e defesas.

O último desses ataques ocorreu no início deste mês, quando um drone armado detonou em um restaurante em um ponto de entrada importante no aeroporto de Bagdá usado por soldados e diplomatas americanos, disse um oficial militar dos EUA à CNN. Em abril, um drone danificou um hangar de drones da CIA perto de Erbil.

Os ataques aéreos americanos na noite de domingo atingiram instalações operacionais e de armazenamento de armas em dois locais na Síria e um no Iraque, de acordo com o Pentágono, alvos que foram “selecionados porque essas instalações são utilizadas por milícias apoiadas pelo Irã que estão engajadas em empregar veículos aéreos não tripulados (UAV) em ataques contra funcionários e instalações dos EUA no Iraque.”

Na imagem divulgada em 15 de janeiro de 2021 pelo Imamedia, um drone suicida iraniano se aproxima do alvo durante um exercício conduzido pela Guarda Revolucionária do Irã. Vários drones suicidas mergulharam sobre os alvos e explodiram durante o treinamento

Durante meses, a inteligência e os militares dos EUA no Iraque têm alertado sobre o risco para as forças americanas desses drones iranianos mais novos e sofisticados. Em vez de serem guiados por um piloto de um local remoto, alguns desses pequenos drones de asa fixa usam navegação GPS, tornando-os muito menos visíveis aos sistemas de vigilância dos EUA e imunes a interferências.

“Basta dizer que a (CIA) agora está prestando muita atenção a essa questão, porque essas coisas tendem a assustar um pouco”, disse um ex-oficial de inteligência com experiência na região.

Embora os ataques de foguetes contra o pessoal dos EUA no Iraque tenham se tornado quase uma rotina, esses novos drones de fabricação iraniana, os chamados drones suicidas, são vistos pela inteligência e militares dos EUA como uma escalada clara do Irã – e um sinal preocupante para os funcionários da inteligência de que os EUA não gozam mais de autonomia nos céus do Iraque.

Recheados explosivos, os novos drones vêm em tamanhos variados – de uma envergadura de 1,5 m a uma envergadura de 4 a 5 metros, de acordo com um oficial militar dos EUA – com as iterações maiores carregando até 30 quilos de explosivos.

Os crescentes ataques usando esses drones mais sofisticados são parte de um esforço contínuo do Irã para usar milícias substitutas no Iraque para tentar expulsar os Estados Unidos da região, disseram fontes à CNN. Para complicar as coisas, eles também surgem no momento em que o governo Biden busca negociações delicadas com Teerã sobre um novo acordo nuclear.

FONTE: CNN

https://www.aereo.jor.br/2021/06/28/cacas-f-15-e-f-16-da-usaf-atacam-bases-de-milicias-apoiadas-pelo-ira-na-siria/?fbclid=IwAR1VyuWnrapfLYPm4BGSL-8CUIbLmWIEep1B4cc3dyva8vuNRxjPx0dYYNE

By SANTANA

SANTANA - Jornalista / Bacharel em Ciência Política / Gestor em Segurança Pública e Policiamento / Pós graduado em Sociologia da Segurança Pública

Deixe um comentário